iPhone: Mudança de Estratégia ou Visão de Futuro?

Em se tratando da Apple, podemos afirmar as duas coisas.

Famosa por sua grande capacidade de inovação, a Apple entra de vez no mercado de telefonia, criando um novo conceito em telefonia móvel. Ela conseguiu, com o iPhone, fundir celular e computador, integrando comunicação, computação e conteúdo digital em um só lugar, colocando-o literalmente no bolso revolucionando de vez o que chamávamos “telefone”.

A dimensão que estou tentando passar é e que podemos realmente estar diante do primeiro computador verdadeiramente pequeno a ponto de conseguirmos colocá-lo no bolso e não nos preocuparmos mais com o peso. Quem ainda não teve contato com um, fiquem tranqüilos, pois muito em breve terão. Posso garantir isso e até o final desse texto concordarão comigo.

Já há algum tempo a operadora de telefonia móvel, Claro, vem negociando o licenciamento de venda do iPhone no Brasil, fato que se consolidará com vendas do aparelho muito provavelmente no segundo semestre deste ano. Inicialmente a estratégia adotada pela Apple era de vincular a venda do iPhone a uma única operadora no país e fechava contrato apenas se houvesse acordo de repasse de até 30% da conta telefônica paga pelos assinantes. Imaginávamos que o mesmo iria ocorrer no Brasil. Entretanto há poucos dias a Vivo, outra operadora, anunciou a comercialização do produto no Brasil, prevendo o lançamento também para o segundo semestre deste ano, mas ainda sem data definida.

Mas o melhor ainda estava por vir e faz jus ao título deste artigo. Observando os movimentos da Apple, não é difícil perceber que seu posicionamento estratégico é claro e bem definido, e a meu ver deve assustar um pouco seus novos concorrentes. O primeiro iPhone foi lançado nos Estados Unidos ao valor estimado de $500 dólares para a versão de 8 gigabytes(GB) de memória. Além do anúncio da nova versão do iPhone incluindo tecnologia 3G(terceira geração de padrões e tecnologias de telefonia móvel), tecnologia GPS(sigla em inglês para “Global Position System” e em português “Sistema Mundial de Posicionamento”), e com uma velocidade três vezes maior do que o atual, a Apple oficialmente reduziu o valor de $500 para $200 dólares para a versão com 8 gigabytes(GB) de memória. Além disso, a partir de 11 de julho, o iPhone será disponibilizado oficialmente para venda em 22 países e até o final de 2008 espera-se que esse número chegue a 70, incluindo o Brasil. Dessa forma a Apple espera abocanhar uma fatia considerável do mercado de aparelhos para telefonia móvel. Para se ter uma idéia, estima-se que no Brasil existam mais de 300 mil aparelhos em operação, e isso sem existirem lojas vendendo-o oficialmente. Com esse novo posicionamento da Apple, estimo que haja um grande crescimento desse número, pois a maior barreira para se adquirir um iPhone foi quebrada essa semana, o preço.

Steve Wozniak (co-fundador da Apple) em entrevista à revista Época, publicada em 13/06 sob título “iPhone de Graça”, afirmou que, “A queda de preço torna o iPhone mais competitivo. Estamos subsidiando o produto. A tendência é que, eventualmente, ele seja gratuito.” Será? A resposta é “Sim”. Perfeitamente possível. As operadoras poderão se assim preferirem, subsidiar parcial ou totalmente o valor do aparelho oferecendo-o gratuitamente ao cliente, dependendo é claro, do plano pelo qual ele optar. Isso é uma prática amplamente usada pelas operadoras e a mudança na estratégica de venda da Apple possibilitou essa continuidade. Com isso a Apple assume uma postura estratégica de ganho em escala, diferente da adotada em seus demais produtos. Oferecendo a um valor mais barato, ela conseguirá atingir mais rapidamente um número maior de consumidores e a tendência é que caminhe em direção à liderança do mercado de aparelhos de celulares.

O que Nokia, Samsung e Blackberry pensam a respeito eu não sei, mas o fato é que elas estão se mexendo, podem e vão surpreender o mercado com novos produtos. Agora resta saber se essa surpresa terá ou não o mesmo impacto gerado pelo iPhone. Você poderá pagar para ver ou receber de graça. A escolha é sua!

Para finalizar, duas afirmações me chamaram a atenção no artigo da revista Época.

Este é o telefone que mudou para sempre todos os outros telefones” (Steve Jobs – Fundador da Apple)
Os concorrentes terão de fazer produtos similares ao iPhone ou perderão seus consumidores para ele.” (Steve Wozniak – co-Fundador da Apple)

Estratégia de Marketing ou Visão de Futuro?

Abraços e até a próxima!

ED.
____________________________________________________________________________________
Para acessar a reportagem da revista Época “iPhone de Graça”, use o endereço abaixo.
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI5931-15224,00-IPHONE+DE+GRACA.html